Notícias

Novo sistema aumenta bloqueio de recursos de devedores

Com Sisbajud, no ano passado foram congelados R$ 59 bilhões em ativos

23 de fevereiro de 2021

O Sisbajud, novo sistema de penhora on-line do Judiciário, permitiu o aumento do volume de bloqueios de recursos de devedores em 2020.

Segundo números divulgados pelo Valor, no ano passado foram congelados R$ 59 bilhões em ativos.  Mais de 60% desse valor foi alcançado a partir de setembro, quando passou a funcionar o substituto do Bacen Jud. Em 2019, no total, foram R$ 56 bilhões.

O Sisbajud está integrado ao processo judicial eletrônico (PJe), o que possibilita a automatização das ordens de bloqueio, desbloqueios e transferências de recursos a contas judiciais. Antes, o juiz precisava preencher manualmente todas as informações do processo. Com o novo sistema, passou a ser possível também executar, de forma eletrônica, pedidos de quebra de sigilo.

Ouvido pelo jornal, Tiago Asfor Rocha Lima, sócio do RMS Advogados, avaliou a plataforma. “O sistema ainda tem falhas. Só teve a visão do credor”, disse. Segundo ele, faltou a participação da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) na elaboração do Sisbajud. Participaram apenas Justiça, Banco Central e a Fazenda Nacional.

Entre os problemas, Asfor cita o bloqueio em valores superiores ao determinado. “E não se desbloqueia com a mesma velocidade”, diz.

O advogado destaca, ainda, os prejuízos com recursos parados, sem rendimento. “Afeta o fluxo de caixa das empresas e coloca em risco o pagamento de trabalhadores. O sistema ainda precisa evoluir muito porque teria condição de identificar algumas questões como a natureza da verba que está sendo bloqueada.”

Notícias Relacionadas

Notícias

Organizações cobram do BNDES liberação do Fundo Amazônia

Recursos para combater efeitos da pandemia estão parados, dizem entidades

Notícias

Trecho de MP que permite redução de salário é inconstitucional

Crise, no entanto, pode justificar medidas, dizem advogadas

Send this to a friend