Notícias

Doação de vacinas pelos EUA pode estimular outros países

América Central e América do Sul receberão 6 milhões de imunizantes

7 de junho de 2021

Os Estados Unidos anunciaram na última quinta-feira (3) a doação de 25 milhões de vacinas contra a covid-19 a dezenas de países. Trata-se do primeiro lote de cerca de 80 milhões de imunizantes que os EUA se comprometeram a entregar a diversas regiões do mundo até o fim de junho. Desse primeiro lote, cerca de 19 milhões de doses serão gerenciadas pela aliança Covax Facility, da Organização Mundial da Saúde (OMS), criada com o preceito de difusão justa e igualitária das vacinas contra a covid-19.

Entre as regiões para as quais serão enviadas doses via Covax estão a América Central e a América do Sul, que juntas receberão 6 milhões de vacinas. Essa fatia precisará ser distribuída para 15 países, incluindo o Brasil, que juntos têm uma população que ultrapassa 400 milhões de pessoas. A quantidade de imunizante que será distribuída a cada país ainda não foi detalhada.

À BBC, a professora de Direito Internacional da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), a advogada Maristela Basso, avaliou que a ação dos EUA em repassar as doses pode servir de estímulo para outras nações com excedentes e também podem estimular novos auxílios a países como o Brasil.

“É um passo importante dos Estados Unidos. Eles compraram em grande quantidade e, então, agora colaboram com o mundo. Diferentemente de um governo mais centralizado, voltado para si, esse é um movimento de multilateralismo, de aproximação com outros países”, disse.

“Oitenta milhões de vacinas é uma grande quantidade, mas se olhar para a quantidade dos países que precisam de imunizantes no mundo, é como um passarinho em um incêndio. Mas é importante, porque talvez sirva de estímulo para outros países, como os europeus, que podem ter vacina de sobra”, complementou.

Notícias Relacionadas

Notícias

Nelson Wilians Advogados tem nova sede em MS

Objetivo da banca é ampliar atividades em Mato Grosso do Sul

Notícias

Debate sobre mudança na Lei de Segurança Nacional ganha força

Número de inquéritos abertos com base na LSN cresceu no governo Bolsonaro

Send this to a friend