Notícias

Campanha pede aumento de verbas para o meio ambiente

Organizações defendem orçamento maior para o setor

3 de dezembro de 2020

Ibama / Divulgação

Foi lançada nesta quarta-feira (2) a campanha “Floresta sem Cortes“, que pede a alteração do Projeto de Lei Orçamentária (PLOA) para 2021, enviado pelo Executivo para votação no Congresso Nacional, garantindo a recomposição do orçamento para o meio ambiente. O documento é assinado por 24 organizações da sociedade civil, entre elas o Inesc (Instituto de Estudos Socioeconômicos).

De 2019 para 2020, a redução no orçamento das despesas discricionárias do Ibama foi de R$112 milhões (30,4%), de R$ 97 milhões no ICMBio (32,7%) e de R$33 milhões (32,7%) para o Ministério do Meio Ambiente. O PLOA de 2021 prevê cortes ainda mais acentuados no setor: 29% no Ibama, de 40,4% para o ICMBio e de 39,4% para a administração direta do Ministério do Meio Ambiente.

As organizações que participam da campanha alertam que, com os cortes, o país não terá recursos para combate ao desmatamento e queimadas.

Alessandra Cardoso, assessora política do Inesc, afirmou, em nota, que não existe crise fiscal que justifique “tamanho desmonte” do orçamento do meio ambiente.

“Os cortes expressam, na verdade, a decisão política do atual governo de estrangular os órgãos ambientais e sucatear ainda mais a política ambiental brasileira. É uma irresponsabilidade que precisa ser revertida pelo Congresso Nacional por meio de emendas orçamentárias que assegurem recursos essenciais para que os órgãos possam atuar e cumprir seu papel”, disse Cardoso.

Foto: Ibama / Divulgação

Notícias Relacionadas

Notícias

Justiça suspende exigências para recuperação judicial de empresa

Defesa alegou drástica redução da atividade econômica por conta da pandemia

Notícias

Decisão que suspendeu pesquisa Datafolha causa divergências

Pedido foi feito pela coligação do candidato Celso Russomanno

Send this to a friend